Também conhecida como Diretivas Antecipadas de Vontade, é o documento público por meio do qual a pessoa dispõe antecipadamente, sobre a própria vontade, em eventos futuros de eventual incapacidade, por moléstia grave ou acidente que a impeça de manifestar a sua vontade.

Com base na Resolução 1995/12, do Conselho Federal de Medicina o doente pode optar pela recusa de tratamento médico, quando acometido por doença incurável, visando a não prorrogação de um sofrimento desnecessário

Assim, pode-se declarar antecipadamente o que pretende em relação ao tratamento de uma doença, à sua forma de viver ou de morrer, à doação de seus órgãos, ao destino do seu corpo, entre outras disposições, podendo no mesmo ato, nomear representante para tratar desses e de outros assuntos.

O interessado deve procurar o tabelião e expor ao mesmo o que deseja sobre cuidados e tratamentos que quer, ou não, receber no momento em que estiver incapacitado de expressar, livre e autonomamente, sua vontade.

A DAV sem disposições patrimoniais é uma escritura sem valor declarado.

Seu valor é tabelado por lei em todos os cartórios do Estado do Amazonas, conforme tabela constante na aba “Emolumentos”.